EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Erdogan e Obama não têm previsto encontro formal em Washington

Erdogan e Obama não têm previsto encontro formal em Washington
Direitos de autor 
De  Euronews com EFE, Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O chefe de Estado turco está nos Estados Unidos para a Cimeira de Segurança Nuclear, mas não tem previsto qualquer encontro formal com Barack Obama

PUBLICIDADE

O chefe de Estado turco está nos Estados Unidos para a Cimeira de Segurança Nuclear, mas não tem previsto qualquer encontro formal com Barack Obama.

Recep Tayyip Erdogan vai reunir-se com o vice-presidente, Joe Biden, durante a cimeira que esta quinta-feira arranca em Washington e onde vão marcar presença cerca de meia centena de líderes mundiais.

Esta terça-feira, os Estados Unidos autorizaram a saída da Turquia a familiares de militares e diplomatas. De acordo com o Pentágono, trata-se de uma decisão coordenada com o governo turco que afeta cerca de 600 famílias localizadas no sul e oeste do país.

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, John Kirby, garante que a decisão foi tomada antes da Cimeira de Segurança Nuclear e que não está relacionada com a visita de Ergogan a Washington, adiantando que a retirada de norte-americanos do país se deve a questões de segurança.

Uma medida de prevenção dizem os Estados Unidos face ao risco de novos atentados terroristas. O termo continua a dividir Washington e Ancara, nomeadamente quando em causa estão os curdos que combatem, na Síria, o autoproclamado Estado Islâmico. Os aliados de Washington na luta com os insurgentes são classificados por Ancara como terroristas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vídeo satírico sobre presidente turco provoca tensão entre Ancara e Berlim

Líderes dos rivais regionais Grécia e Turquia reúnem-se para estreitar relações

Turquia corta relações comerciais com Israel até que haja um cessar-fogo em Gaza