Última hora
This content is not available in your region

Turquia propõe criação de "interpol islâmica" para combater terrorismo

Turquia propõe criação de "interpol islâmica" para combater terrorismo
Tamanho do texto Aa Aa

A Organização para a Cooperação Islâmica tenta ultrapassar as divisões no seu seio em nome da luta contra o terrorismo.

Cerca de 30 chefes de Estado de países muçulmanos, entre os quais os rivais Irão e Arábia Saudita, reuniram-se em Istambul.

Um encontro onde apenas o Egito, de relações cortadas com Ancara, destoou numa tensa foto de família.

A cimeira foi marcada pela proposta do presidente turco de criar uma “Interpol Islâmica” para coordenar a luta antiterrorista, segundo ele, sem passar pelo Ocidente.

“Em vez de esperar pela intervenção de forças exteriores na luta contra o terrorismo e em outras crises, temos que ser nós a produzir as nossas soluções através da aliança islâmica”, afirmou Tayyp Erdogan.

Uma declaração de intenções com que a Turquia espera marcar o início da sua presidência da organização durante os próximos dois anos, apesar das divisões criadas pelo conflito sírio.

Para o analista turco, Ragıp Kutay:

“Tem que haver uma mudança e esta só pode acontecer com mais democracia e sociedade de bem estar. A riqueza do mundo árabe repousa nos seus recursos naturais. Mas quem gere, refina e define as políticas energéticas é o Ocidente. Se não existe um consenso, então é necessário resolver cada problema no mundo islâmico de acordo com os parâmetros ocidentais”.

A reunião em Istambul ocorreu no mesmo dia em que a imprensa turca noticia que Ancara e Washington poderiam reativar o programa de treino de rebeldes moderados na Síria.

Segundo o correspondente da euronews, “A reunião decorreu numa atmosfera de autocrítica, com vários líderes rivais sentados à mesma mesa. Uma forma de tentar, pelo menos, manter o diálogo entre os diferentes países”.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.