Última hora
This content is not available in your region

Franceses querem respostas de Abdeslam

Franceses querem respostas de Abdeslam
Tamanho do texto Aa Aa

Com Salah Abdeslam já numa prisão francesa e acusado de pertencer a uma organização terrorista, homicidioe posse de armas e explosivos, os franceses aguardam pelo desfecho de um processo que revelar mais dados sobre os terríveis atentados de 13 de novembro em París.

Numa conferência sobre extremismo e radicalismo, na capital francesa, a mãe de um jovem recrutado pelo autodenominado Estado Islâmico, morto na Síria, anseia por resultados concretos.

“Espero que ele fale e nos diga muito sobre os recrutadores, porque – em vez de nos focarmos nos jovens que foram para a Síria – seria bom deter todas as pessoas que continuam a recruitar estes jovens”, diz Geraldine Henneghien.

Em Paris, cidade ainda marcada pelos ataques selvagens que mataram 130 pessoas e várias centenas de feridos, muita gent não tem dúvidas de que Adbeslam deve ser julgado em França.

“Penso que é compreensivel que ele esteja em França e seja julgado em França, também. Não sei se a Bélgica também o quer julgar pelo que fez lá, depois, mas acho que é normal e necessário, tentar aliviar um pouco as coisas, especialmente para as famílias”, explica uma parisiense.

Durante a primeira comparência no Palácio da Justiça de Paris, Salah Abdeslam assegurou ao juiz da unidade antiterrorista de que irá “falar mais tarde”.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.