EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Habitantes de Donetsk protestam contra missão armada da OSCE

Habitantes de Donetsk protestam contra missão armada da OSCE
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais de 5000 pessoas manifestaram-se em Donetsk, bastião dos rebeldes pró-russos, contra o envio, para Donbass, de uma missão armada da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa…

PUBLICIDADE

Mais de 5000 pessoas manifestaram-se em Donetsk, bastião dos rebeldes pró-russos, contra o envio, para Donbass, de uma missão armada da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

Um pedido que Kiev faz há vários meses mas que tem de ser aprovado pelos 57 Estados que fazem parte da organização, entre eles a Rússia.

Os habitantes mostram-se preocupados:

“Por debaixo do disfarce de uma missão armada eles podem enviar, para aqui, uma unidade terrorista, como o “Setor Direita”, isto depois de os vestirem com os uniformes apropriados”, referiu um habitante da região.

#Donetsk: Placards read, “armed mission = military intervention” “no to OSCE armed mission”. pic.twitter.com/yplBLoKOFZ

— English Lugansk (@loogunda) 10 de junho de 2016

No mês passado o secretário-geral da OSCE afirmou que a organização está aberta a enviar pessoal armado, se a questão for consensual. Em Donetsk outras questões se levantam:

“Compreendemos todos, claramente, que para as forças armadas da Ucrânia monitores armados seriam um alvo fácil. E, como é tradição, iriam acusar-nos”, afirmou Denis Pushilin enviado da autoproclamada República de Donetsk no grupo para a Ucrânia.

Por agora, no terreno, existe uma missão de observadores da OSCE não armada que vigia o frágil cessar-fogo.

O conflito entre as forças ucranianas e os rebeldes pró-russos já fez quase 9400 mortos em pouco mais de dois anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Destroços de drone abatido provocam incêndio e fazem um morto em Odessa

Revolução "Euromaidan" rebentou na Ucrânia há dez anos: Relatos na primeira pessoa

Críticos de Putin e ativistas antiguerra manifestam-se em capitais europeias