This content is not available in your region

Osborne quer baixar IRC para amortecer choque económico do "Brexit"

Access to the comments Comentários
De  Patricia Cardoso  com REUTERS, LUSA, EFE, AFP
euronews_icons_loading
Osborne quer baixar IRC para amortecer choque económico do "Brexit"

O governo britânico quer reduzir os impostos para as empresas para manter o país atrativo e evitar fuga de capitais após o “Brexit”.

O ministro das Finanças, George Osborne, revelou ao Financial Times que quer colocar o IRC abaixo dos 15%, mas não avançou datas.

Atualmente, a taxa de IRC é de 20% e Londres pretende baixá-la para 17% em 2020.

A concretizar-se, o Reino Unido iria aproximar-se da Irlanda, onde a taxa é de 12,5%, a mais baixa da Europa.

O analista Michael Hewson estima que “Osborne tem de pensar de forma ampla, não só no corte dos impostos às empresas, mas também da contribuição autárquica sobre imóveis. É um encargo significativo para pequenas e grandes empresas no Reino Unido. É preciso olhar também para os potenciais gastos com infraestruturas no futuro”.

Segundo Pascal Lamy, antigo líder da Organização Mundial do Comércio (OMC), começar com o corte dos impostos não seria a melhor forma de iniciar negociações com a UE. Já Emmanuel Macron, ministro francês da Economia, estima que “o corte dos impostos para as empresas não deveria ser a prioridade do governo britânico”.

O choque do “Brexit” poder arrastar a economia britânica para uma recessão. Num primeiro sinal, o índice PMI do setor da construção registou, em junho, a maior contração em sete anos.

O índice baixou para 46 pontos, contra 51,2 pontos em maio.

A pressão no setor imobiliário é forte. Segundo um estudo de Casa.it, nos dias dias que se seguiram ao referendo, o valor dos imóveis em Londres baixou 5,5% e a procura diminuiu 19%.