EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Turquia: Comunicação social alvo da ira do poder

Turquia: Comunicação social alvo da ira do poder
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na Turquia a purga estende-se aos meios de comunicação social e não tem fim à vista.

PUBLICIDADE

Na Turquia a purga estende-se aos meios de comunicação social e não tem fim à vista. Esta quarta-feira o governo encerrou 3 agências noticiosas, 16 estações de televisão, 45 jornais, 15 revistas e 29 editoras. A repressão é denunciada pelo relator especial das Nações Unidas sobre a Liberdade de Expressão, David Kaye, e pela representante da OSCE para a Liberdade de Imprensa, Dunja Mijatovic.

Ugur Ayatc, do sindicato dos jornalistas da Turquia, sublinha o caráter arbitrário desta purga:

“É inaceitável que tanta gente esteja detida para interrogatório. Estas decisões foram tomadas sem nenhum critério e estas pessoas estão a ser punidas porque trabalhavam para o jornal afeto a Fethullah Gulen.”

Desde o início da semana foram emitidos quase cem mandados de detenção contra jornalistas. De acordo com o ministério do interior, atualmente estão detidas perto de 16 mil pessoas no âmbito do golpe de Estado, metade foi constituída arguida, grande parte são militares. O governo do presidente Erdogan acusa o clérigo Fethullah Gulen de orquestrar o golpe de Estado.

#NEWSGRAPHIC Latest numbers in Turkey's crackdown after the July 15 attempted coup pic.twitter.com/1VMaTpsxpP

— AFP news agency (@AFP) 28 de julho de 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Televisão pública húngara emite debate político pela primeira vez em 18 anos

Gabinete de Netanyahu aprova encerramento da delegação da Al Jazeera em Israel

Jornalistas palestinianos recebem Prémio Liberdade de Imprensa da UNESCO