Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Desacordo na ONU abala trégua na Síria

Desacordo na ONU abala trégua na Síria
Tamanho do texto Aa Aa

A trégua inciada há cinco dias na Síria parece cada vez mais condenada ao fracasso.

Se os rebeldes continuam a acusar o regime de levar a cabo novos ataques em Alepo, no plano diplomático, Rússia e EUA continuam a divergir sobre os detalhes do pacto de cessar-fogo selado em Genebra.

Os dois países cancelaram esta noite uma reunião no Conselho de Segurança da ONU. Os dois países deveriam apresentar os detalhes do acordo de cessar-fogo para obterem o apoio do organismo.

Washington voltou a afirmar que a continuação da trégua depende da entrega de ajuda humanitária a Alepo.

A Rússia afirma, por seu lado, estar disposta a prolongar o cessar-fogo por mais 3 dias, mas só se Washington forçar os rebeldes a rejeitarem qualquer cooperação com grupos jihadistas, como recordou o responsável militar russo da operação, o general Viktor Ponzihir.

A trégua previa o início de uma operação humanitária na sexta-feira, com a criação de uma zona desmilitarizada no leste de Alepo, que permitiria a distribuição de víveres aos 250 mil habitantes sitiados.

Mas esta noite os camiões da ONU permaneciam à espera da luz verde na fronteira entre a Turquia e a Síria, a cerca de 5 horas de caminho da cidade.

Em Washington, o presidente Obama afirmou estar seriamente preocupado com a situação, tendo avisado que não irá coordenar as suas operações militares no terreno com Moscovo, se a situação não for desbloqueada em Alepo.