Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Rússia Unida: partido de Vladimir Putin reforça poder nas eleições parlamentares

Rússia Unida: partido de Vladimir Putin reforça poder nas eleições parlamentares
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Sem surpresa, os aliados políticos de Vladimir Putin asseguraram a vitória nas eleições parlamentares, que alguma imprensa russa descreve como “entediantes”.

O partido Rússia Unida, actualmente no poder e fundado por Putin, preenche 343 lugares dos 450 existentes na câmara baixa do Parlamento, segundo a Comissão Central Eleitoral.

Isto permite ao Rússia Unida uma alteração constitucional, dada a obtenção de mais de 75% dos votos e abre caminho a um quarto mandato de Putin daqui a 18 meses, caso se candidate de novo à Presidência russa.

Nas ruas moscovitas, as opiniões dividem-se: “Votei no partido do nosso presidente, porque acredito que o futuro pertence à Rússia Unida. Não estamos a mudar o que somos, avançamos na mesma direcção”, diz Marina, uma transeunte.

Aleksander, mais velho, faz parte dos mais de 50% de russos que não apareceram nas urnas de voto:“Votei apenas uma vez na minha vida quando tinha 18 anos e não quero votar mais nestas pessoas burguesas. Porque não acredito neles. São fraudes.”

Um outro moscovita aponta a falta de alternativas: “Francamente, estou um pouco desapontado. Tudo é mais uma vez como era antes. Infelizmente a nossa oposição liberal desacreditou-se um pouco e não houve nenhuma mensagem clara. E assim, mesmo não apoiando o partido no poder, também não há nada a oferecer no campo liberal.”

Os partidos liberais de oposição não asseguraram um único lugar parlamentar e os 3 partidos que ficaram muito atrás do Rússia Unida, tendem a votar concertadamente com este partido em questões de fundo.

Como nos diz Galina Polonskaya, jornalista russa da euronews, a pouca afluência às urnas de voto nestas eleições parlamentares foi um record. Os não votantes foram maioritariamente os residentes nas grandes cidades russas- São Petersburgo e a capital, Moscovo.