A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Pressões políticas podem ter fechado jornal húngaro

Pressões políticas podem ter fechado jornal húngaro
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Com Andrea Hájagos, em Budapeste

Mesmo tendo sido avisados de que a publicação iria ser suspensa por tempo indeterminado, os jornalistas do diário húngaro Népszabadság apresentaram-se ao trabalho, este domingo de manhã, em Budapeste. Encontraram uma porta fechada.

A decisão de suspender o jornal, considerado próximo da oposição ao governo de Viktor Orbán, partiu do proprietário. O único jornalista a conseguir entrar foi o diretor, para uma reunião com os administradores. Saiu convencido de que se trata de uma decisão política: “Posso concluir que não se tratou de uma decisão financeira, mas de outro tipo. Depois disto, a única coisa que pode ser negociada com o dono e com a administração é a venda do Népszabadság”, disse András Murányi.

A versão oficial é que o jornal foi suspenso por dificuldades financeiras, mas a tese das pressões políticas é a mais defendida pelo público e pelos cerca de 2000 manifestantes que se juntaram perto da sede do diário, este sábado, em apoio aos jornalistas. O Népszabadság tem 60 anos de história e era o principal jornal durante a era comunista. Mesmo conotado com a oposição, não tem ligações com nenhum dos atuais partidos políticos da Hungria.

“Ainda é incerto o que vai acontecer aos jornalistas deste diário. A única certeza, para já, é que não vai para as bancas esta segunda-feira”, diz a correspondente da euronews Andrea Hájagos.