EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Europa escreve novo capítulo da exploração de Marte

Europa escreve novo capítulo da exploração de Marte
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O módulo Schiaparelli tem como função principal testar a tecnologia europeia de descida e aterragem em Marte.

PUBLICIDADE

A missão ExoMars 2016 começou há sete meses em Baikonur, com o lançamento da sonda russo-europeia TGO e do módulo Schiaparelli, a bordo de um foguetão russo Proton. O objectivo é aterar em Marte e detetar formas de vida bacterianas.

Depois de percorrerem 900.000 quilómetros, os dois aparelhos separaram-se no domingo.

A sonda Trace Gas Orbiter -TOG ficou em órbita e tem como missão analisar a atmosfera de Marte e detetar gases que possam revelar a existência de vida, como o metano: “Com a sonda Trace Gas Orbiter, esperamos poder perceber de onde vêm os gases, como mudam ao longo das estações, de que parte da superfície vêm e, com alguma sorte, perceber a diferença entre uma situação banal em geologia, que é a mudança nas rochas devido à presença de água debaixo do solo, ou outra possibilidade bastante mais animadora, que é a existência de vida”, diz Mark McCaughren, conselheiro na Agência Espacial Europeia (ESA).

Já o módulo Schiaparelli tem como função principal testar a tecnologia europeia de descida e aterragem em Marte. A entrada na atmosfera é travada por um escudo térmico.

Abre-se um paraquedas supersónico, o módulo larga o escudo frontal e acende o radar. Em seguida, separa-se do paraquedas e entram em ação nove retrofoguetões. O impacto é amortecido por uma estrutura quebrável.

14:45 UT: According to nominal timeline, Schiaparelli should now be deploying parachute #ExoMarspic.twitter.com/zoiIZQbAlL

— ESA_Schiaparelli (@ESA_EDM) October 19, 2016

14:46 UT: According to nominal timeline, Schiaparelli front shield should now be jettisoned #ExoMarspic.twitter.com/dvsB34VUpc

— ESA_Schiaparelli (@ESA_EDM) October 19, 2016

14:47 UT: According to nominal timeline, Schiaparelli should be jettisoning parachute & rear shield then igniting thrusters #ExoMarspic.twitter.com/X5cG0N3Q4Q

— ESA_Schiaparelli (@ESA_EDM) October 19, 2016

14:48UT: According to nominal timeline, Schiaparelli should have switched off thrusters to touchdown on #Mars surface! stay tuned.. #ExoMarspic.twitter.com/GMSHcD7xUm

— ESA_Schiaparelli (@ESA_EDM) October 19, 2016

Até agora, só os norte-americanos conseguiram fazer aterrar em Marte equipamentos que funcionam, incluindo o robot Oppotunity, que chegou em 2004 e ainda funciona – e o Curiosity, que trabalha na superfície de Marte desde 2012. Estes robôs procuram condições favoráveis à existência de vida no Planeta Vermelho, nomeadamente água.

Em 2020, a Europa e a Rússia vão enviar a Marte um novo robô que vai beneficiar dos desenvolvimentos tecnológicos conseguidos pelo Schiaparelli. Vai perfurar o solo de Marte e tentar descobrir rastos de uma vida bacteriana passada.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agência Espacial Europeia selecionou cinco novos astronautas entre mais de 20 mil candidatos

Depois do cancelamento na semana passada, nave espacial russa descola do Cazaquistão

Lançamento da Soyuz abortado a segundos da descolagem