EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Palavras de Trump contra Clinton tornam-se virais

Palavras de Trump contra Clinton tornam-se virais
Direitos de autor 
De  Nara Madeira com Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

No último debate Donald Trump chamou a Hillary Clinton “Nasty Woman”, expressão que pode ter vários sentidos, um deles, talvez o mais moderado, é dizer que a candidata democrata à Casa Branca é…

PUBLICIDADE

No último debate Donald Trump chamou a Hillary Clinton “Nasty Woman”, expressão que pode ter vários sentidos, um deles, talvez o mais moderado, é dizer que a candidata democrata à Casa Branca é “desagradável”.

Este momento tornou-se viral nos EUA. Se por um lado houve quem não gostasse da atitude do candidato republicano por outro houve quem brincasse com a situação.

Katty Perry juntou-se ao grupo dos que gozam com as palavras de Trump, com uma t-shirt da criadora Amanda Brinkman, que já vendeu mais de 6000 exemplares.

Lá vem o crush miga, aja naturalmente: #KatyPerry#nastywomanpic.twitter.com/ZDi5YQ7vzR

— Victoria Yang (@fireworkmeow) 23 de outubro de 2016

Bob Bland, empresária, aproveitou também para fazer dinheiro:

“A maioria das pessoas que se envolve nesta ação fá-lo porque pensa que seria engraçado vestir uma t-shirt como esta no dia das eleições. E se isso ajudar as pessoas a terem uma razão para irem votar, para mim isso é ainda melhor. Porque muitos de nós não se sentem entusiasmados com esta eleição”, adianta a empresária.

Desde o início da campanha que Donald Trump se tem visto envolvido em polémica. As mais recentes colocaram boa parte do eleitorado feminino, maioritário nos EUA, contra ele. Resta saber como isso se vai traduzir, no resultado final das Presidenciais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições norte-americanas: Texas, Kansas e Florida já começaram a votar

EUA: "Corrida ao congresso na mente de Clinton"

"Um grande gesto de um grande presidente". Líderes europeus reagem à desistência de Biden