Bashar al-Assad diz que vai ficar no poder até 2021 e que a Síria está melhor agora do que antes da guerra

Bashar al-Assad diz que vai ficar no poder até 2021 e que a Síria está melhor agora do que antes da guerra
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bashar al-Assad vai ficar no poder ate 2021, é o próprio presidente sírio que o afirma numa entrevista, a jornalistas ocidentais, onde considera que o país está melhor agora do que antes da…

PUBLICIDADE

Bashar al-Assad vai ficar no poder ate 2021, é o próprio presidente sírio que o afirma numa entrevista, a jornalistas ocidentais, onde considera que o país está melhor agora do que antes da guerra.

O apoio russo é fundamental para manter no poder o presidente de um país onde a guerra já provocou 400 mil mortos e obrigou metade da população a fugir.

If alive RT thedailybeast</a>: Bashar al-Assad declares he will rule Syria until at least 2021: <a href="https://t.co/Mg8H2keDnh">https://t.co/Mg8H2keDnh</a> <a href="https://t.co/8tWeC1I3Le">pic.twitter.com/8tWeC1I3Le</a></p>&mdash; Doug Goodman (purpleH2Oski) November 1, 2016

A entrevista a Assad, aconteceu, na noite de segunda-feira, na segurança do seu palácio, em Damasco.

Uma segurança que conta com o precioso contributo de forças russas, iranianas e do Hezbollah, cuja influência tem crescido.

Entretanto, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, afirmou que o regresso às conversações de paz estão adiadas por o Ocidente não controlar os islamitas radicais no terreno.

Sergei Shoigu: Resumption of Syria Peace Talks Delayed Indefinitely. Our Ships Complete Passage to Med https://t.co/Qqyx9gYgEepic.twitter.com/jB33QDmtRf

— geo kok (@antixronos) November 1, 2016

“Como resultado, as perspetivas para o início de um processo de negociação e o retorno à vida pacífica na Síria são adiadas por um período indeterminado,” declarou Sergei Shoigu

A ONU acusou, terça-feira, os grupos armados opositores e o Governo sírio de cometerem crimes de guerra com bombardeamentos indiscriminados e o uso de armamento pesado contra áreas residenciais de Alepo, evidenciando um total desprezo pela vida de civis.

Mourning the loss of our hero Ibrahim, killed after his team was targeted on their way to rescue civilians in #Aleppo city. RIP Ibrahim. pic.twitter.com/r6UACPPU7e

— The White Helmets (@SyriaCivilDef) October 30, 2016

A ONU estima que, na parte oriental da cidade de Alepo, 275.000 civis estão presos e 8.000 combatentes rebeldes escondidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Síria: A rota difícil dos refugiados até chegarem aos acampamentos

Síria: Putin rejeita regresso à ofensiva aérea contra os rebeldes em Alepo

Duas crianças entre os seis mortos após bombardeamentos de Assad em Idlib