Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Barack Obama espera que credores ajudem a Grécia a crescer

Barack Obama espera que credores ajudem a Grécia a crescer
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente dos Estados Unidos da América afirmou, esta terça-feira, em Atenas que a Grécia demonstrou querer continuar a fazer as reformas necessárias para colocar a economia a crescer.

Vou continuar a pressionar os credores para que tomem as medidas necessárias para colocar a Grécia no caminho da recuperação económica.

Barack Obama Presidente dos EUA

Para isso, Barack Obama apelou aos credores internacionais para que encontrem soluções que permitam o alívio da dívida do país.

Por seu lado, o primeiro-ministro helénico, Alexis Tsipras apelou à solidariedade, em especial da Alemanha, e afirmou que é impossível seguir com os cortes.

“A sociedade e a economia gregas, depois de sete anos, não podem suportar mais austeridade”, garante Tsipras.

“Neste contexto, à medida que a Grécia prossegue com as reformas, o FMI afirmou que o alívio da dívida é crucial. Vou continuar a pressionar os credores para que tomem as medidas necessárias para colocar a Grécia no caminho da recuperação económica, duradoura, pois é do interesse de todos que a Grécia tenha êxito”, afirma o governante norte-americano.

Atenas é a primeira paragem da última viagem diplomática de Barack Obama, enquanto presidente.

A partir de janeiro, será Donald Trump a dirigir a Casa Branca.

Motivo pelo qual o analista político, Panagis Galiatsatos, consideram a visita pouco significativa. “A desvantagem desta visita é que Obama é um presidente cessante. Por isso, para qualquer assunto que possa comprometer os Estados Unidos, a partir de agora, é necessário consultar o seu sucessor. Cabe a Donald Trump aceitar, ou não, o que quer que seja que Obama lhe sugira”, remata.

Para o correspondente da euronews, em Atenas, Stamatis Giannisis, “se Hillary Clinton tivesse vencido as eleições presidenciais da última semana, a visita de Barack Obama a Atenas poderia ter servido de ponte política entre a próxima administração dos Estados Unidos e o Governo grego de esquerda. Mas, com Donald Trump como próximo residente da Casa Branca, o primeiro-ministro Alexis Tsipras precisa de encontrar outros canais de comunicação com Washington, para vários assuntos, incluindo a redução da dívida grega.”