EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Lituânia vendeu a particulares fuzis doados pelos Estados Unidos

Lituânia vendeu a particulares fuzis doados pelos Estados Unidos
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Armas automáticas doadas pelos Estados Unidos ao Exército da Lituânia foram parar às mãos de colecionadores particulares, num caso que resultou num forte embaraço…

PUBLICIDADE

Armas automáticas doadas pelos Estados Unidos ao Exército da Lituânia foram parar às mãos de colecionadores particulares, num caso que resultou num forte embaraço diplomático.

O Fundo de Armamento, que depende do Ministério lituano do Interior, vendeu, por erro, oito fuzis de assalto M14, pela módica quantia de cerca de 350 euros cada, a particulares com licença de porte de arma. Quando se apercebeu do erro, a instituição conseguiu reaver cinco armas, mas três colecionadores recusaram devolver as suas.

O responsável do Fundo de Armamento, Jonas Salavejus, diz que como “são armas originais, que vêm da Guerra do Vietname, eles afirmam que têm um valor de coleção, entre 10 e 25 mil dólares. O Estado não pode pagar essas quantias [para reaver as armas] e não foi possível chegar a acordo, por isso será preciso esperar para ver o que decide o tribunal”.

Os Estados Unidos doaram os fuzis em 1999 e, três anos depois, assinaram um acordo com a Lituânia que proibia a vendas de armas norte-americanas a terceiros.

Os M14 continuam a ser usados pelo Exército lituano, essencialmente em cerimónias. Em 2009, a presidente lituana, Dalia Grybauskaite, testou uma destas armas num terreno de treino militar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições presidenciais vão ter segunda volta na Lituânia mas Nauseda deve conseguir segundo mandato

Detidos na Polónia dois suspeitos de ataque a aliado de Navalny na Lituânia

Zelenskyy no Fórum dos Três Mares para consolidar apoio regional à Ucrânia