Procurador grego pede rejeição da extradição de soldados exigida por Ancara

Procurador grego pede rejeição da extradição de soldados exigida por Ancara
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A audiência dos oito soldados turcos que fugiram para a Grécia após o golpe militar falhado na Turquia em julho passado começou esta terça-feira e o veredicto é esperado a 23 de janeiro.

PUBLICIDADE

O procurador adjunto do Supremo Tribunal da Grécia recomendou esta terça-feira que Atenas rejeite o pedido de extradição emitido por Ancara para dois soldados turcos, de um grupo de oito que fugiu para a Grécia após o golpe militar falhado na Turquia em julho passado.

O apelo do procurador surgiu após a primeira audiência dos oito soldados turcos. Outros dois soldados vão ser ouvidos esta quarta-feira. A leitura do veredicto dos oito está prevista para 23 de janeiro.

Prosecutor says two Turkish officers should not be extradited https://t.co/2yjhCEFT0Npic.twitter.com/fn2MXaJwDJ

— Kathimerini English (@ekathimerini) 10 de janeiro de 2017

O procurador Vassiliki Theodorou alega que a exigência da Turquia para a extradição dos oito soldados é inaceitável por várias razões, mas sobretudo porque “não existe garantia de que eles venham a ter um julgamento justo ou que não venham a ser submetidos a tortura, humilhação e tratamento desumano.”

Várias testemunhas ouvidas esta terça-feira pelo tribunal argumentaram estar em curso uma purga pelas autoridades na Turquia, o que pode significar que a vida dos soldados estaria em risco se eles fossem extraditados. Entre as testemunhas estava, por exemplo, o antigo ministro grego da Justiça Michalis Stathopoulos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeiro contingente de tropas da Alemanha chega a Vilnius para reforçar flanco leste da NATO

Porta-voz do exército israelita: "Pode haver um cessar-fogo hoje ou daqui a um ano".

Trump paga 175 milhões de dólares para evitar apreensão de bens em caso de fraude