EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Síria: Governo de Damasco e rebeldes de acordo pelo abastecimento de água

Síria: Governo de Damasco e rebeldes de acordo pelo abastecimento de água
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O anúncio da a negociação preliminar partiu do governador da província da capital, mas falta ainda a confirmação do lado da oposição.

PUBLICIDADE

Ala’a Ibrhaim, o governador da província de Damasco, capital da Síria, anunciou através da agéncia síria Sana um acordo preliminar com os grupos rebeldes da oposição para permitir a reparação dos reservatórios de água no vale de Wadi Barada, a noroeste da capital.

Do lado dos rebeldes não foi ainda possível, contudo, confirmar o acordo, adianta a Reuters.

Damascus Countryside Governor: Preliminary agreement reached with armed groups' leaders to exit Wadi #Barada areahttps://t.co/72h5nIL8LJ

— SANAEnglishOfficial (@SANAEnOfficial) 11 de janeiro de 2017

Situados numa zona controlada pelos rebeldes, os reservatórios de Wadi Barada servem mais de quatro milhões de pessoas, mas foram atingidos em dezembro pelos combates entre forças do regime e os grupos armados de oposição a Bashar al-Assad.

Setenta por cento dos habitantes de Damasco tiveram de procurar fontes de água alternativas, com as duas partes em conflito a trocarem acusações pelo sucedido.

#UN Warns Inability to Access Water in #Damascus Creating Risks for #Childrenhttps://t.co/7eOFX3tAMI#Syria#WadiBarada#Wadi_baradapic.twitter.com/KPHpIm4P8W

— Syrian Coalition (@SyrCoalition) 10 de janeiro de 2017

Poços, geradores de água potável e camiões cisternas foram improvisados pelas organizações humanitárias a operar na província de Damasco.

As Nações Unidas lançaram mesmo um aviso de que a sabotagem ou o bloqueio de fontes de água são considerados crimes de guerra.

“To sabotage and to deny water is a war crime” – NRC_Egeland</a> on Damascus, <a href="https://twitter.com/hashtag/Syria?src=hash">#Syria</a> water crisis: <a href="https://t.co/jcYFHX4K6U">https://t.co/jcYFHX4K6U</a> <a href="https://t.co/sT3smMV827">pic.twitter.com/sT3smMV827</a></p>&mdash; UN Geneva (UNGeneva) 6 de janeiro de 2017

De acordo com o governador de Damasco, o acordo alcançado prevê a entrega pelos rebeledes da artilharia pesada que possuem, que os militantes da oposição que não sejam naturais da região que a abandonem e que unidades do exército sírio entrem na zona para a limparem de minas e de explosivos para que técnicos especializados possam trabalhar em segurança na reparação dos reservatórios.

Este acordo entre governo e rebeldes, se se vier a confirmar de ambos os lados, vai permitir aliviar a pressão sobre os habitantes da região.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Petroleiro traz breve alívio a Gaza, quando escassez de água está para durar

Uma em cada seis crianças no norte da Faixa de Gaza sofre de desnutrição grave

Governo da Catalunha prepara-se para emergência de seca