Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

A vingança do Chelsea

A vingança do Chelsea
Tamanho do texto Aa Aa

O que não falta em Londres são dérbis, mas o que faz parar a capital inglesa nos dias que correm é o que coloca frente a frente Chelsea e Arsenal.

Em setembro, os “gunners” arrasaram em casa, no sábado a equipa de Antonio Conte vingou-se em Stamford Bridge. Foi precisamente a derrota por 3-0 no Emirates que marcou o ponto de viragem, desde então leva 16 vitórias em 18 encontros na Premier League e uma vantagem confortável de nove pontos na liderança.

Este sábado o Chelsea dominou perfeitamente o encontro frente aos velhos rivais e a sua vitória nunca esteve em causa. Eden Hazard esteve endiabrado e os “blues” só não retribuíram o 3-0 da primeira volta porque Olivier Giroud apontou o tento de honra do Arsenal já nos descontos.

Com esta derrota, a segunda consecutiva, a equipa de Arsene Wenger caiu para a quarta posição já a 12 pontos do Chelsea. É o próprio treinador francês quem admite que o Chelsea tem tudo para somar mais um título ao seu palmarés:

“O Chelsea está cheio de confiança, forte, não sofre golos… têm o título na mão, estão na melhor posição e não jogam na Europa. Podem esperar a semana toda pelo próximo jogo, podem preparar-se convenientemente. Estão numa posição muito favorável.”

Do lado do Chelsea, o técnico italiano preferiu realçar a atitude dos seus jogadores:

“Trabalhámos muito bem, estou satisfeito com os meus jogadores pela entrega que mostraram, pela vontade de lutar pela vitória neste jogo de grande importância. Em quatro dias jogámos com Liverpool e Arsenal, agora vamos festejar esta grande vitórias mas a partir de amanhã já só pensamos no jogo seguinte.”

Ases e azelhas

Não foi só o dérbi de Londres a provocar emoções fortes na Premier League na 24ª jornada. Gabriel Jesus é o homem do momento em Manchester. O brasileiro que chegou no mercado de inverno entrou a todo o gás no futebol inglês. Em 278 minutos com a camisola do City leva já três golos e duas assistências, frente ao Swansea fez mais dois na sua conta pessoal.

Já Romelu Lukaku tem estado em grande desde o verão. Frente ao Bournemouth, tornou-se apenas no segundo jogador do Everton a apontar quatro golos na Premier League depois de Louis Saha. O poker valeu-lhe a liderança dos melhores marcadores com 16 golos.

Em queda livre está o Liverpool. A equipa de Jürgen Klopp foi surpreendida pelo Hull City, de Marco Silva, e soma apenas uma vitória nos dez encontros realizados em 2017. Mesmo essa foi frente ao Plymouth Argyle, do quarto escalão, a contar para a Taça de Inglaterra.