Mortes de migrantes no Mediterrâneo sobem para nível recorde

Mortes de migrantes no Mediterrâneo sobem para nível recorde
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sedentas de dinheiro, as redes de tráfico humano enchem cada vez mais os barcos, segundo o diretor da Frontex, organismo europeu de proteção das fronteiras.

PUBLICIDADE

Apesar do aumento no número de navios de salvamento a patrulhar o mediterrâneo, o número de migrantes mortos afogados na rota entre a Líbia e a Itália subiu para um nível recorde, segundo a Frontex, o organismo europeu de proteção das fronteiras.

Fazer a travessia, agora, é ainda mais inseguro, segundo o diretor da agência. Sedentas de dinheiro, as redes de tráfico humano enchem cada vez mais os barcos: “O número de migrantes a vir em pequenos barcos, ou barcos de pescadores, aumentou. Este ano há uma média de 160, enquanto no ano passado era, aproximadamente, de 100 migrantes por barco”, diz Fabrice Leggeri.

Entre 2014 e 2016, 1,6 milhões de pessoas chegaram à Europa depois de uma travessia do Mediterrâneo. A rota mais usada é a que liga a Líbia a Itália, uma situação a que não é alheio o vazio político e o caos vivido agora neste país do norte de África.

Frontex publishes its annual Risk Analysis for 2017 https://t.co/Fp5sQeLWv9pic.twitter.com/NMjlZgtaMq

— Frontex (@Frontex) February 15, 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Pelo menos 17 migrantes resgatados e três desaparecidos em naufrágio ao largo da Grécia

Pelo menos 98 mortos em naufrágio de barco de pesca em Moçambique

Lampedusa está sobrecarregada depois de receber mais de 1000 migrantes em 24 horas