A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Donald Trump suaviza decreto sobre entrada nos EUA

Donald Trump suaviza decreto sobre entrada nos EUA
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois dos protestos nas ruas e da guerra nos tribunais, Donald Trump apresentou uma nova versão do decreto para impedir a entrada de cidadãos de sete países nos Estados Unidos. Para começar, o presidente norte-americano decide deixar cair um desses países: o Iraque já não faz parte desta “lista negra” e agora quem tem visto de residência vai ter as portas abertas.

Os detalhes novo documento foram apresentados pelo secretário de Estado, Rex Tillerson, o procurador geral, Jeff Sessions, e pelo secretário da Segurança Nacional, John Kelly.

“Nada nesta ordem executiva afeta a lei já existente para quem tem o “green card” ou cidadãos que tenham autorização para entrar no nosso território”, explicou Kelly

O Iraque sai então da lista negra com o argumento de que milhares de iraquianos ajudaram os militares norte-americanos e o Governo de Bagdad comprometeu-se a colaborar mais de perto com as autoridades dos Estados Unidos na verificação dos documentos e dos antecedentes de quem quiser viajar.

Para os cidadãos do Irão, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen não há mudanças: durante pelo menos três meses não podem entrar em território norte-americano, a não ser que já tenham vistos. No que diz respeito aos refugiados e requerentes de asilo de qualquer país do mundo, mantém-se a suspensão durante quatro meses. Para os sírios, a suspensão passa também a ser de pelo menos quatro meses, quando antes estavam barrados indefinidamente.