EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Josef Aschbacher: "Ainda não percebemos o que está acontecer no nosso planeta"

Josef Aschbacher: "Ainda não percebemos o que está acontecer no nosso planeta"
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O diretor do programa de Observação do Planeta Terra da Agência Espacial Europeia falou com a Euronews sobre o lançamento do satélite Sentinela-2B do programa Copernico.

PUBLICIDADE

O Sentinela-2b é o quinto satélite lançado pela Agência Espacial Europeia (ESA) para o espaço no âmbito do programa Copernicus, que tem como objetivo realizar uma observação total, contínua e autónoma e de alta resolução da Terra.

O Satélite reveste-se de particular importância. A explicação é dada pelo diretor do departamento de Observação da Terra da Agência Espacial Europeia (ESA), Josef Aschbacher, à Euronews.

Claudio Rosmino, Euronews: Josef Aschbacher, obrigado por estar com a Euronews. O senhor é o diretor do programa da Agência Espacial Europeia de Observação da Terra e a rede de satélites Sentinela é a chave para o estudo do estado do nosso planeta. Pode relembrar-nos o objetivo da missão ?

Josef Aschbacher, diretor do departamento de observação da terra, ESA: “O objetivo da missão é monitorizar o estado do planeta e o Sentinela 2, em particular, observa a superficie do terreno e também as zonas costeiras para termos um boa imagem do nosso planeta todos os dias com satélites em órbita”.

Claudio Rosmino, euronews: “Toda a superfice da Terra vai ser coberta em alta resolução todos os cinco dias, em que é que consistem esses dados?”

Josef Aschbacher, ESA: “Estes dados são oferecidos a toda a gente de forma gratuita, elas podem aceder aos dados num sítio da internet, todos podem descarregar qualquer imagem da terra a partir de qualquer lugar. E esta é verdadeiramente uma nova função que instalámos no programa Corpernicus para garantir que os investimentos feitos no Espaço pelos contribuintes europeus possam ser usados por todos os europeus e também por pessoas de fora da Europa. E eu acho que essa é a medição do sucesso, de que as pessoas podem de facto ter acesso aos dados em qualquer lugar e a qualquer hora”.

Claudio Rosmino, Euronews: “Porque é que o Sentinela 2-B e também outros satélites de observação são tão importantes para monitorizar o nosso planeta?”

Josef Aschbacher, ESA: “Eles são muito importantes porque nós ainda não percebemos bem o que está acontecer no nosso planeta. O nosso planeta é muito complexo, a atmosfera interage com os oceanos, interage com a terra. Todo o sistema da Terra – como nós chamamos – é um sistema muito complicado que os cientistas ainda não compreendem totalmente. Por isso, precisamos de medições precisas de satélites – e também de outros meios – para perceber o que está a passar, não apenas sobre o clima.”

Claudio Rosmino, Euronews: “A poluição atmosférica é um dos principais assuntos em destaque hoje em dia, como pode este tipo de estudos influenciar a ação dos governos em todo o mundo?”

Josef Aschbacher, ESA: “Um exemplo: a desflorestação faz com que não tenhamos florestas que convertem a poluição em oxigénio e por isso precisamos de compreender o que se passa no terreno para ver como a química da atmosfera é influenciada.”

A shoutout from Kourou to all the #spacetweeps gathering at ESOC for #Sentinel2Gosocial4space</a> <a href="https://twitter.com/esa">esaESA_EO</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/VV09?src=hash">#VV09</a> <a href="https://t.co/lV3MtYasvN">pic.twitter.com/lV3MtYasvN</a></p>&mdash; Josef Aschbacher (AschbacherJosef) 6 mars 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lançado novo satélite europeu de observação da Terra

Agência Espacial Europeia selecionou cinco novos astronautas entre mais de 20 mil candidatos

Rússia aborta lançamento do foguetão Angara-A5 a minutos da descolagem