Equipamentos eletrónicos fora das cabinas são inconveniente para os passageiros

Equipamentos eletrónicos fora das cabinas são inconveniente para os passageiros
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As reações à decisão dos EUA, seguida por Londres, de interditar o transporte de computadores e tablets, na cabina em voos de nove companhias aéreas que ligam vários países do Médio Oriente e norte de

PUBLICIDADE

As reações à decisão dos EUA, seguida por Londres, de interditar o transporte de computadores e tablets, na cabina em voos de nove companhias aéreas que ligam vários países do Médio Oriente e norte de África aos Estados Unidos são, em alguns casos de surpresa e incredulidade.

As autoridades norte-americanas, evocam riscos reais de atentados “terroristas”, relacionados com ameaças detetadas, mas há quem não compreenda:

“No avião há pessoas de diferentes nacionalidades, se alguém quiser fazer alguma coisa, e transporte esse tipo de dispositivos, escolhe outra companhia aérea. Por isso, não sei quem foi o inteligente que tomou esta decisão”, adianta um passageiro do aeroporto JFK, em Nova Iorque, Mohsen Ali.

Os passageiros só podem levar na bagagem de cabina telemóveis e dispositivos médicos.

Para um analista os inconvenientes para os passageiros são muitos:

“São muitos os inconvenientes e, francamente, cria muito stress aos passageiros. Torna-os conscientes dos riscos que correm e, para além destes inconvenientes, há o outro de se ter de colocar esses dispositivos, muito caros, na bagagem de porão sobre a qual não têm controlo durante horas”, explica Henry Harteveldt, analista da indústria das viagens para o grupo Atmosphere Research.

Entre as companhias visadas estão a Qatar Airways e a Emirates. Os aeroportos de origem, o do Cairo, Qatar, Dubai, Marrocos, entre outros.

A Emirates aproveita a decisão norte-americana para promover o seu serviço a bordo

Let us entertain you. pic.twitter.com/FKqayqUdQ7

— Emirates airline (@emirates) 21 de março de 2017

O Reino Unido segue os EUA mas as restrições resumem-se a seis países do Médio Oriente, mas mais companhias aéreas.

França e Canadá estão a estudar a matéria para decidir se tomam medidas idênticas.

Há quem brinque com a questão, como esta arqueóloga que diz que para a próxima viagem levará uma máquina de escrever…

That's fine, TSA. On my next trip home to the USA, I'll just bring my travel typewriter. #laptopban#emirates#electronicsbanpic.twitter.com/SlZXUEr00x

— Jessica Nitschke (@roguearchaeolog) 21 de março de 2017

A Air Jordanian já colocou na sua conta de Twitter uma informação sobre a interdição

Attention all passengers ⚠️ pic.twitter.com/HCNDcjcdi1

— Royal Jordanian (@RoyalJordanian) 21 de março de 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Londres anuncia probições no transporte de material eletrónico em voos do Médio Oriente

EUA proibem aparelhos eletrónicos em cabine em voos de oito países

Casa Branca diz desconhecer data para a ofensiva terrestre em Rafah