EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Rússia, Síria e Irão alertam EUA para consequências de um novo ataque unilateral

Rússia, Síria e Irão alertam EUA para consequências de um novo ataque unilateral
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Rússia, Síria e Irão condenaram esta sexta-feira como “um ato de agressão”, o ataque com mísseis norte-americanos contra uma base aérea síria na semana passada.

PUBLICIDADE

Rússia, Síria e Irão condenaram esta sexta-feira como “um ato de agressão”, o ataque com mísseis norte-americanos contra uma base aérea síria na semana passada.

Numa reunião em Moscovo, os responsáveis da diplomacia dos três países, alertaram Washington para as consequências de um novo ataque direto, considerado uma violação da legislação internacional.

Segundo Serguei Lavrov, “Na minha opinião é óbvio para toda a gente que violar a lei internacional é inaceitável e ações agressivas como esta têm como objetivo abalar o processo de paz previsto na resolução do Conselho de Segurança da ONU, votada de forma unânime”.

Sobre o suposto ataque químico em Khan Sheikhun – considerado como “uma montagem”, por Serguei Lavrov – os três responsáveis exigiram a criação de uma comissão de inquérito internacional, com representantes dos três países.

Para o ministro dos Negócios Estrangeiros sírio, Wallid Mualled:

“A questão é saber porque é que os Estados Unidos temem a criação de uma comissão de investigação? Porque é que cometeram esta agressão antes da criação de uma comissão de inquérito? Será que querem submeter as relações internacionais à lei da selva?”.

A reunião ocorreu dois dias depois da primeira visita do novo secretário de Estado norte-americano a Moscovo.

O ataque norte-americano contra a base síria de Syriat, justificado como uma resposta à ação com armas químicas atribuída ao regime de Damasco, tinha levado Moscovo a suspender um acordo com Washington para evitar incidentes aéreos em território sírio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque químico é uma história forjada pelos EUA, acusa o presidente sírio

Sean Spicer no centro da polémica por comparar Hitler a Assad

Presidente iraniano defende reformas na Síria