EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Exclusivo: Mahmoud Ahmadinejad critica acordo nuclear do Irão e aponta o dedo a Trump

Exclusivo: Mahmoud Ahmadinejad critica acordo nuclear do Irão e aponta o dedo a 
Trump
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pouco depois de confirmar a recandidatura às eleições presidenciais de 19 de maio, o antigo chefe de Estado iraniano concedeu uma entrevista à euronews.

PUBLICIDADE

Mahmoud Ahmadinejad foi presidente do Irão entre 2005 e 2013. É conhecido como um conservador da ala mais dura e pretende voltar a assumir o poder ano e meio após o país ter fechado um acordo nuclear que permitiu soltar-se das sanções internacionais e abrir a respetiva economia ao mundo.

Poucas horas após ter anunciado a recandidatura à presidência, Mahmoud Ahmadinejad concedeu uma entrevista exclusiva à euronews onde, entre diversos temas, abordou, claro, o acordo nuclear.

“Na minha opinião, a forma como as informações foram dadas estava incorreta. A nação não recebeu a informação correta. Depois vimos que o que foi dito não se materializou. As sanções continuaram, surgiram novas sanções e algumas foram até prorrogadas. No acordo, a possibilidade de acompanhamento legal não foi prevista”, acusa o antigo presidente iraniano.

“Trump has chosen the path of war” – Ahmadinejad speaks exclusively to Euronews https://t.co/nqZr13vE5Ppic.twitter.com/qHI564Oq8F

— euronews (@euronews) 19 de abril de 2017

Numa entrevista conduzida pelo nosso correspondente em Teerão, Javad Montazeri, para o programa “Global Conversation”, Mahmoud Ahmadinejad fala também do ataque dos Estados Unidos com recurso a mísseis contra uma base militar das forças fiéis a Bashar al-Assad, na Síria.

“Penso que o senhor Trump escolheu o caminho da guerra, apesar das promessas que fez ao seu povo. Já o disse antes e volto a dizer: esta guerra levará, certamente, à queda da hegemonia global dos Estados Unidos da América. O Irão, os Estados Unidos, a Rússia, a Arábia Saudita, a Turquia, todos temos de dar as mãos para trabalhar, em primeiro lugar, para a segurança, o diálogo e a paz na Síria; em segundo, para ajudar a cumprir a vontade e a soberania do povo sírio”, defende Ahmadinejad.

Mahmoud Ahmadinejad em entrevista sobre a recandidatura à presidência do Irão, para ver em exclusivo na euronews.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"A Europa podia ter uma boa relação com o Irão"

Há mais de 100 candidatos às presidenciais iranianas

Milhares de túmulos iluminados não deixam apagar a memória do Dia D