Última hora
This content is not available in your region

E.U.A. querem conter ambições nucleares do Irão

E.U.A. querem conter ambições nucleares do Irão
Tamanho do texto Aa Aa

Apenas um dia depois de afirmar ao Congresso que o Irão está a cumprir o acordo nuclear conseguido em 2015, o secretário de estado Rex Tillerson deixou claro que, em última análise, o acordo não impedirá o Irão de se tornar numa potência nuclear.

Tillerson fez uma rara declaração aos jornalistas esta quarta-feira, apontando o dedo às ambições nucleares do Irão e ao apoio dado a forças anti-americanas no Médio Oriente, deixando clara a ideia de que o Irão representa uma ameaça: “Os indícios são claros: as acções provocadoras do Irão ameaçam os Estados Unidos, a região e o mundo. Como disse no início, a administração Trump está no momento a rever detalhadamente a política face ao Irão. Assim que tivermos as nossas conclusões, abordaremos os desafios que o Irão representa com clareza e convicção.”

Tillerson declarou ainda que um Irão não controlado poderia tomar o rumo da Coreia do Norte, para além de agravar conflitos como os do Iemen, Síria, Iraque e Líbia. Quanto ao acordo nuclear feito em 2015 pela administração Obama, Tillerson afirmou que tinha conseguido ganhar um curto período de tempo mas que ignorava outras acções iranianas desestabilizadoras.

Mesmo estando a cumprir o acordo de 2015, o Irão tem de ser controlado nas suas ambições nucleares, diz Rex Tillerson. O secretário de estado americano compara o Irão à Coreia do Norte.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.