Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Ciberataque: Governos tomam medidas

Ciberataque: Governos tomam medidas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O ciberataque que atacou vários países e organizações, na sexta-feira, foi de acordo com a Europol de “um nível sem precedentes”.

Os piratas informáticos atacaram, sobretudo, empresas de telecomunicações e energia mas também a banca, em cerca de 100 países.

No Reino Unido foram reportados problemas informáticos graves em hospitais do serviço nacional de saúde.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, assegura que “o Centro Nacional de Segurança Cibernética está a trabalhar com todas as organizações que foram afetadas, aqui, no Reino Unido e isso é muito importante. No futuro, vamos garantir que o Centro Nacional de Segurança Cibernética possa continuar a aconselhar e a apoiar, como estão a fazer para este ataque particular “.

A Rússia terá sido o país com maior número de ataques. Foram reportados problemas informáticos em vários ministérios, no sistema bancário e na rede ferroviária, obrigando o Kremlin a tomar medidas.

“O Governo decidiu transferir os computadores estatais para os sistemas operacionais nacionais e deve continuar a fazê-lo, persistentemente. Até fazermos essa transferência teremos riscos”, informou o conselheiro presidencial e chefe do Instituto para o Desenvolvimento da Internet, German Klimenko.

Em Portugal, a EDP cortou os acessos à Internet da sua rede, para prevenir eventuais ataques informáticos e a Pharol, dona da Meo, alertou os clientes para o vírus perigoso que andava a circular na Internet.

Não foram detetados ciberataques no país. A Polícia Judiciária diz estar a acompanhar a situação.