A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Egito responde com ataques aéreos ao último atentado contra cristãos coptas

Egito responde com ataques aéreos ao último atentado contra cristãos coptas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É o segundo dia consecutivo de bombardeamentos sobre campos ligados à Al-Qaeda na Líbia Oriental.

A resposta firme do presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi que se iniciou na sexta-feira, horas depois do atentado a peregrinos coptas que matou 29, incluindo crianças.

O Estado Islâmico reivindicou o atentado este sábado e al-Sisi reforçou o aviso feito antes: mais 3 ataques aéreos sobre Derna, Líbia Oriental.


Derna tem um historial de militância islamista e foi a primeira presença do Estado Islâmico na Líbia em 2014.

A acção foi vista no Cairo como a resposta adequada aos ataques violentos contra a minoria cristã no Egito e que puseram o país em estado de emergência desde abril.

Yahia Ez Eldien, antigo gerente agora reformado, acha que uma retaliação ao extremismo islamista era necessária face à injustiça dos ataques à comunidade cristã: “O objectivo dos terroristas é dividir o Egipto em dois países, um cristão e outro muçulmano. Esta gente é ateia e nós somos crentes em Deus, não está certo.”

Azab Shehata, condutor, aprova a reação do governo egípcio: “O que o exército egípcio e a força aérea egípcia fizeram foi apreciável, uma reação rápida. Isso trouxe algum alívio às pessoas.”

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Egito entregou uma carta ao Conselho de Segurança das Nações Unidas informando que os ataques eram um ato legítimo de auto-defesa.


Os funerais dos cristãos egípcios mortos quando seguiam num autocarro em Minya, a sul do Egito, prosseguem.