Última hora

Cristiano Ronaldo em tribunal por fraude fiscal de 14,7 milhões de euros

Cristiano Ronaldo em tribunal por fraude fiscal de 14,7 milhões de euros
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O departamento de delitos económicos da autoridade tributária de Espanha apresentou no Tribunal de Instrução de Pozuelo de Alarcón uma denúncia contra o futebolista português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, por alegadamente defraudar o estado espanhol em 14,7 milhões de euros de forma “consciente” e “voluntária” com recurso a uma estrutura societária criada para o efeito.

A alegada empresa em nome do atual melhor e mais bem pago futebolista do Mundo terá sido criada em 2010, o ano seguinte à sua transferência do Manchester United para o Real Madrid, para ocultar do fisco os rendimentos provenientes dos direitos de imagem gerados em Espanha. Ronaldo, de 32 anos, é acusado de quatro delitos cometidos entre 2011 e 2014, num total de 14,76 milhões de euros.


A denúncia contra Ronaldo baseia-se num relatório remetido ao fisco pela Agência Estatal da Administração Tributária espanhola, onde consta a procuração passada em 2008 pelo futebolista ao seu representante, o agente Jorge Mendes, para firmar um contrato de trabalho com o Real Madrid, de cinco temporadas (2009-2015), rubricado a 21 de junho de 2009.

Em dezembro do ano passado, Cristiano Ronaldo foi um dos principais visados pela revelação por um consórcio de meios de comunicação social, incluindo o semanário português Expresso, de alegados documentos secretos denunciando uma supopsta fuga ao fisco espanhol.

A investigação ficou conhecida como “Football Leaks” e acabou por focar-se no empresário Jorge Mendes, o dono da Gestifute, empresa através da qual o “super agente” português representa alguns dos melhores e mais bem pagos futebolistas e treinadores do planeta.




A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.