Última hora
This content is not available in your region

França apela ao fim das sanções contra Doha

França apela ao fim das sanções contra Doha
Tamanho do texto Aa Aa

Com Lusa

O ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Jean-Yves Le Drian, pediu no Qatar aos países árabes para que façam esforços para acalmar a tensão na região, considerando que a crise diplomática “não beneficia ninguém”.

Numa breve conferência de imprensa transmitida na televisão, junto ao seu homólogo do Qatar, Mohamed Abdulrahman al-Thani, o chefe da diplomacia francesa, manifestou a preocupação de França com a “deterioração” das relações entre o Qatar e os vizinhos e apelou às partes para que deem “sinais de confiança mútua” como passo prévio para chegarem a “passos concretos”.

Le Drian, que apoia os trabalhos de mediação do Kuwait e de outros países, como os Estados Unidos, pediu ainda aos quatro países que bloquearam o Qatar que levantem “o quanto antes” as medidas que afetam a população civil, “em particular as famílias binacionais e os estudantes que têm dificuldades em regressar” aos países onde estudam.

França tem relações comerciais importantes com os dois principais atores da crise, o Qatar e a Arábia Saudita, sendo o último acordo realizado um exemplo disso: na semana passada foi formalizada uma parceria a 25 anos entre a Petrolífera do Estado do Qatar (QP) e a gigante francesa Total para desenvolver o maior campo de petróleo de al-Chahine.

A crise do Golfo eclodiu no início de junho, depois de a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Egito terem rompido as relações diplomáticas com o Qatar e imposto bloqueios ao país, acusando-o de apoiar o terrorismo e de manter relações demasiado estreitas com o Irão xiita.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.