Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Japão e Coreia do Sul deixam avisos à Coreia do Norte

Japão e Coreia do Sul deixam avisos à Coreia do Norte
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Face às ameaças da Coreia do Norte, o Japão e a Coreia do Sul prometem retaliações.

Pyongyang é alvo de sanções por parte da ONU por ter realizado dois testes de mísseis intercontinentais em julho, mas, nada parece dissuadir o regime de Kim Jong-un de melhorar o arsenal nuclear e proferir ameaças contra os Estados Unidos e o seus aliados.

Em conferência de imprensa, as autoridades japonesas anunciaram que estão prontas para tomar medidas em caso de ataque.

“O nosso governo tem estado a preparar-se para várias situações que poderão exigir a evacuação e a proteção dos nossos cidadãos no Japão e em países estrangeiros. Estamos a contemplar vários cenários, a reunir informação, a preparar meios de transporte para garantir a segurança da população”, declarou Yoshihide Suga, ministro de Estado do Japão.

Depois dos Estados Unidos, foi a vez da Coreia do Sul de subir o tom contra a Coreia do Norte.

“Os nossos militares deixam um aviso severo. Se a Coreia do Norte decidir provocar-nos e desafiar-nos, vai ter de enfrentar a resposta firme e forte do nosso dispositivo militar e da nossa aliança militar com os Estados-Unidos”, anunciou Roh Jae-Cheon, porta-voz do ministério da defesa da Coreia do Sul.

A Coreia do Sul reforçou a vigilância na zona fronteiriça. A capital, Seul, onde vivem dez milhões de pessoas, situa-se a apenas 60 quilómetros do território norte-coreano.

Apesar de ser um país extremamente pobre, a Coreia do Norte já realizou cinco ensaios nucleares desde 2006 e recusa parar os testes. Nos últimos seis meses, lançou 17 mísseis, mostrando-se indiferente às sanções internacionais.