Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Habitantes de Hong Kong nas ruas contra prisão de ativistas

Habitantes de Hong Kong nas ruas contra prisão de ativistas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas protestaram em Hong Kong contra a condenação de três jovens ativistas a penas, entre seis e oito meses, de prisão. E nem as altas temperaturas as demoveram de expressar a sua indignação.

Os jovens, líderes estudantis, foram julgados pela sua participação nos protestos pró-Democracia de 2014. Lideraram o movimento que exigia eleições diretas no território e acabaram condenados por “reunião ilegal”:

“O governo está a aplicar sentenças muito pesada para nos meter medo numa futura luta pela Democracia e pelos Direitos Humanos em Hong Kong. Acreditamos que o governo não pode colocar-nos a todos na prisão se continuarmos a lutar”, afirma Tong Hiu-yan, uma das organizadoras do protesto.

Para além das penas de prisão os jovens ficam impedidos de se candidatar a cargos públicos durante cinco anos.

As manifestações de 2014, conhecidas por “Revolução dos Guarda-Chuvas”, paralisaram o centro de Hong Kong durante 79 dias.

Este protesto, segundo os organizadores foi o que teve maior afluência desde essa altura.