Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Iraque detém 1.400 familiares de combatentes do EI

Iraque detém 1.400 familiares de combatentes do EI
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Iraque mantém retidos cerca de 1.400 estrangeiros, familiares de combatentes do grupo Estado Islâmico (EI), num campo de refugiados a sul de Mossul.

A informação foi revelada pela agência Reuters, num momento em que Bagdade afirma estar pronta a repatriar o grupo, formado na sua maioria por mulheres e crianças de 13 nacionalidades, entre turcos e russos e alguns alemães e franceses.

As agências humanitárias afirmam estar preocupadas com as condições de detenção do grupo, num campo onde se encontram igualmente milhares de vítimas dos combatentes islamitas.

Segundo Melany Markham, porta-voz do Norwegian Refugee Council, que acompanha a situação:

“Eles estão numa situação desesperante. Nós estamos a fornecer ajuda essencial, como comida, água e abrigo. O que é incerto é o futuro destas pessoas proibidas de sair deste local. Queremos que o governo iraquiano determine o mais rapidamente possível que é que lhes vai acontecer, respeitando os seus direitos fundamentais, pois tratam-se de civis e têm que ser tratados como tal.

A maioria dos detidos tinha-se rendido às forças iraquianas e curdas durante a ofensiva em Mossul, junto à cidade de Tal-Afar.

Alguns países como a França afirmaram já que esperam que a justiça iraquiana examine cada caso antes de proceder ao repatriamento, limitado para já aos menores.

Uma fonte do ministério do interior iraquiano refere, no entanto, a necessidade urgente de resolver a situação junto das embaixadas estrangeiras, reconhecendo a impossibilidade de manter estas pessoas em detenção prolongada.