EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Justiça francesa abre inquérito a morte de franco-português

Justiça francesa abre inquérito a morte de franco-português
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Autoridades francesas abrem inquérito judicial depois da morte de cidadão franco-português abatido pela polícia.

PUBLICIDADE

Luís Bico, de 48 anos e de origem portuguesa, foi morto a tiro em Châlette-sur-Loing, a 19 de agosto. A justiça francesa abriu agora um inquérito sob a figura jurídica, no direito francês, de “violências voluntárias que resultaram na morte sem intenção de o fazer por parte de pessoa depositária da autoridade pública”.

Segundo as fontes policiais, Luís Bico foi neutralizado depois de ameaçar esfaquear e atropelar várias pessoas, munido de uma arma branca. Depois do comportamento ameaçador, a polícia deslocou-se até casa da vítima para proceder à sua detenção. O franco-português estava refugiado no carro e foi rodeado pelos agentes da autoridade. Fez várias manobras e fugiu ao volante do automóvel – nessa altura a polícia recorreu às armas e o homem morreu devido aos ferimentos.

Sofria de problemas psiquiátricos. A autópsia revelou a presença de “duas balas potencialmente fatais” que atingiram o coração da vítima e não de apenas uma, como inicialmente relatado.
O atirador da primeira bala foi formalmente identificado e a proveniência da segunda bala deve ser apurada no âmbito da investigação.

De acordo com as imagens de vídeo, divulgadas nas redes sociais, os movimentos do veículo em fuga não pareciam ameaçar diretamente os agentes da polícia que dispararam várias vezes.
O governo português já veio pedir uma explicação oficial às autoridades francesas sobre esta intervenção policial.

(Com AFP)

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Legislativas antecipadas mergulham França na incerteza política sem primeiro-ministro no horizonte

Centenas festejam em Paris na noite da segunda volta das eleições francesas

Rassemblement National não terá maioria absoluta, segundo as últimas sondagens