Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Médicos vestem a bata do protesto na Venezuela

Médicos vestem a bata do protesto na Venezuela
Tamanho do texto Aa Aa

A saúde está em risco e os médicos estão em protesto na Venezuela.
Ergueram cartazes com palavras de ordem contra a falta de medicamentos em frente ao edifício da Organização Mundial de Saúde, em Caracas.
Exigem uma posição mais forte da instituição face à crise médica que o país sul-americano enfrenta.

“Hoje estamos aqui na OMS para exigir o fim do silêncio desta organização em relação à crise humanitária a nível da saúde que temos no nosso país. Há números alarmantes de epidemias que estão a recomeçar. Tinham sido totalmente erradicadas na Venezuela e agora estão a surgir novamente como a rubéola, difteria ou a malária”, explica a médica Angelica Aranguibel.

Doenças que estavam controladas mas que ressurgem muito devido à escassez de vacinas e de medicamentos. No meio desta crise muitos venezuelanos com doenças crónicas como o cancro ou diabetes muitas vezes têm de abandonar o tratamento.