A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Milhares de cubanos celebraram 50 anos da morte do "El Comandante"

Milhares de cubanos celebraram 50 anos da morte do "El Comandante"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Com a imagem de Che Guevara em punho, mais de 70 mil pessoas celebraram na cidade de Santa Clara, em Cuba, os 50 anos da morte do mítico guerrilheiro. É aqui que se encontra o mausoléu com os restos mortais do “Comandante”.

O presidente Raul Castro marcou presença. Mas deixou a palavra ao número dois do regime, Miguel Díaz-Canel, que atacou as novas ameaças do “imperialismo”, os “planos colonialistas” dos Estados Unidos e destacou o exemplo de Che para as novas gerações.

“Para mim, o Che é um gigante moral que todos os dias cresce ainda mais e cuja influência alcançou o mundo inteiro”, declarou Díaz-Canel.

Uma jovem estudante dizia-nos que “aquilo que ele nos dá, hoje em dia, é esse exemplo de como sermos pessoas melhores…”.

Foi também em Santa Clara que no final de 1958, Che Guevara conduziu os rebeldes numa vitória decisiva contra o regime de Fulgencio Batista. E o resto é História.