EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Parlamento grego vota reconhecimento dos transgénero

Parlamento grego vota reconhecimento dos transgénero
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Até agora, só quem passou por uma cirurgia de mudança de sexo pode ver a situação reconhecida legalmente.

PUBLICIDADE

Com Apostolos Staikos, em Atenas

Anna sente-se mulher, mas nasceu num corpo de homem e é como homem que a lei da Grécia a identifica. Uma situação que pode mudar com o voto no parlamento, esta terça-feira, do reconhecimento da chamada “identidade de género”. Até agora, só quem passou por uma cirurgia de mudança de sexo pode ver a situação reconhecida legalmente: “Abrir uma conta no banco, ir buscar uma encomenda aos correios, arrendar uma casa. Tudo isso parece simples para a maior parte das pessoas, mas é um pesadelo para os transgénero. O mais difícil é encontrar trabalho sem ser na prostituição”, conta.

Em janeiro, Anna começou a trabalhar na Associação Grega de Apoio aos Transgénero. Uma luta que deve vencer com a aprovação da nova lei no parlamento, apesar da oposição de uma parte importante da sociedade – A Igreja Ortodoxa está contra. O Partido Comunista e o partido de extrema-direita Aurora Dourada devem votar contra a proposta.

“É um momento histórico. Durante muitos anos, os transgénero estiveram na escuridão. Com esta lei, passam para a luz. É importante, porque o Estado, finalmente, reconhece a nossa existência”, diz Anna.

“Preconceitos, marginalização. Durante décadas, este foi o dia-a-dia dos transgénero na Grécia. Vários partidos políticos e a Igreja Ortodoxa discordam da lei, mas para a comunidade transgénero, este é um primeiro e importante passo para uma vida melhor”, diz o correspondente da euronews em Atenas, Apostolos Staikos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mudança de sexo cria tensões entre governo britânico e Escócia

Grécia torna-se primeiro país cristão ortodoxo a legalizar casamento de pessoas do mesmo sexo

Nova lei grega exclui casais homossexuais de serem pais biológicos