Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Históriadores querem respostas sobre Kennedy

Históriadores querem respostas sobre Kennedy
Tamanho do texto Aa Aa

Na quinta-feira serão desclassificados os documentos ligados ao assassinato do presidente Kennedy em 1963.

Muitas pessoas aguardam respostas para questões cruciais levantadas durante anos.

A investigação oficial concluiu que um homem — Lee Harvey Oswald – antigo “marine” que antes tinha tentado desertar para a União Soviética agiu sozinho para matar o Presidente.

Mas o Congresso decidiu em 1992 dar ao arquivo nacional 25 anos para desclassificar os documentos, por considerar a conclusão oficial estaria em risco por existir tanta informação ocultada. Os historiadores esfregam as mãos de contentes. “Espero perceber muito mais sobre o que de facto o governo sabia em relação ao assassinato deste homem, Lee Harvey Oswald, porque a história deste crime mudou em anos recentes”, diz Phil Shenon, historiador.

Uma grande questão que se coloca é o que Oswald estava a fazer no México, dois meses antes do assassinato.

O Presidente Trump declarou que vai permitir que os documentos JFK classificados sejam finalmente do domínio público. Mas a CIA e o FBI poderão convencer o presidente a manter alguma informação confidencial, uma hipótese que aumenta o drama da grande revelação.