EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Aliança da oposição a desmoronar-se na Venezuela

Aliança da oposição a desmoronar-se na Venezuela
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Líder do Primeiro Justiça recusa manter-se na Mesa de Unidade Democrática se o líder da Ação Democrática continuar na coligação antichavista

PUBLICIDADE

A coligação de oposição na Venezuela está a desmoronar-se após a aparente traição de quatro governadores eleitos pela aliança opositora do Presidente Nicolás Maduro.

A rutura da Mesa da Unidade Democrática (MUD), que integra a Ação Democrática (AD), o Primeiro Justiça (PJ) e a Vontade Popular (VP), surge na sequência da decisão de quatro dos cinco governadores eleitos a 15 de outubro pela aliança da oposição terem decidido subjugar-se à controversa Assembleia Nacional Constituinte (ANC) e terem cumprido o juramento para poderem tomar posse.

Um destes governadores, Laidy Gomes, da AD (foto em cima), explicou a decisão de jurar diante da Constituinte com a promessa feita pela defesa do povo, que “está a sofrer extremamente às mãos de um governo incompetente”, referiu numa declaração à imprensa.

“Eles baixaram a cabeça e traíram os eleitores. Falo por mim, não pelo meu partido. Se Ramos Allup (líder da AD) continuar na MUD, eu não continuo. O que aconteceu segunda-feira não tem justificação”, assumiu Henrique Capriles, líder do PJ, o partido cujo governador eleito no estado de Zulia, Juan Pablo Guanipa, recusou subjugar-se à Constituinte.

El Zulia no se arrodillará, no se someterá a una Constituyente fraudulenta. Aquí hay un liderazgo con pie de plomo que seguirá en la lucha pic.twitter.com/vZUtzHmFSl

— Juan Pablo Guanipa (@JuanPGuanipa) 24 de outubro de 2017

Capriles defendeu ainda que o até agora aliado Ramos Allup, da AD, seria “o candidato que agradaria ao governo de Nicolás Maduro nas presidenciais de 2018.”

O líder interino da VP, a outra força política da MUD, garantiu, entretanto, que o seu partido não irá participar nas eleições municipais previstas realizar até final deste ano, mas ainda sem data estabelecida.

“Na segunda-feira, eles disseram-nos que mesmo que ganhássemos as eleições municipais, os presidentes de câmara teriam de se ajoelhar diante da ANC. O Vontade Popular não vai participar nisso. O país quer votar, mas não quer ser uma ferramenta útil à ditadura”, afirmou Freddy Guevara, líder de partido enquanto Leopoldo Lopez se mantém em prisão domiciliária.

#FOTOS Pdte. NicolasMaduro</a> mantiene reunión con gobernadores de oposición en Venezuela, Anzoátegui, Nva. Esparta y Mérida <a href="https://t.co/S4HMfuuaJu">pic.twitter.com/S4HMfuuaJu</a></p>— Prensa Presidencial (PresidencialVen) 24 de outubro de 2017

Três destes quatro novos governadores da oposição que se subjugaram à ANC foram recebidos terça-feira no palácio presidencial. Nicolás Maduro aproveitou o encontro para ratificar a entrega de recursos aos respetivos estados: Tchira (Laidy Gomes), Mérida (Rámon Guevara),Nueva Esparta (Alfredo Diaz) e Sira de Anzoátegui (Antonio Barreto).

Pouco depois, o líder da AD anunciou a “autoexclusão” dos quatro governadores das listas do partido.

Desde AD sobre juramentación de gobernadores #24Octhttps://t.co/g90uQbjYBD

— Henry Ramos Allup (@hramosallup) 24 de outubro de 2017

Ramon Allup garante ter dado instruções aos camaradas eleitos para não se apresentarem no juramento de tomada de posse diante da ANC e que a desobediência tem como consequência automática a autoexclusão.

No vengan ahora con expulsiones ficticias!Venezuela y los venezolanos merecen respeto! https://t.co/VzsnYzupIH

— Henrique Capriles R. (@hcapriles) 24 de outubro de 2017

“Julgo que caíram numa emboscada, mas também compreendo o ponto de vista que os levou a proceder desta forma. Se não o fizessem, não seria possível assumirem a governação dos respetivos estados”, disse Allup, negando ter tentado convencer Juan Pablo Guanipa, o eleito pelo PJ em Zulia, em seguir os passos dos outros quatro eleitos pela oposição ao regime chavista de Nicolás Maduro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Venezuela desqualifica candidata presidencial da oposição María Corina Machado

Guiana: Presidente venezuelano assume controlo da exploração de crude e gás da região de Essequibo

Mega-operação para retomar controlo de prisão