EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Papa Francisco critica indiferença perante a pobreza

Papa Francisco critica indiferença perante a pobreza
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Sumo Pontífice apelou aos crentes para que não ignorem a pobreza nem descartem responsabilidades.

PUBLICIDADE

O Papa Francisco criticou a indiferência da sociedade no primeiro “Dia mundial dos pobres”.

Perante cerca de sete mil necessitados, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, o Sumo Pontífice apelou aos crentes para que não ignorem a pobreza nem descartem responsabilidades. Francisco afirmou que dizer “que isso não me diz respeito nem é assunto meu, é culpa da sociedade”-

We need to encounter the poor and learn how to share so that it becomes a way of life.

— Pope Francis (@Pontifex) November 17, 2017

“Ali, entre os pobres, manifesta-se a presença de Jesus, que, embora rico, tornou-se pobre. Por essa razão, neles, na sua fraqueza, existe um poder salvador. Se aos olhos do mundo eles têm pouco valor, são eles que nos abrem o caminho do céu. Eles são o nosso “passaporte para o paraíso”. Para nós, é um dever evangélico cuidar deles”, afirma o líder da Igreja Católica.

O Papa almoçou, ainda, com 1500 pobres. 2500 foram distribuídos pelos refeitórios das várias instituições pontifícias.

A iniciativa de Francisco surgiu depois do encerramento do Jubileu da Misericórdia, no ano passado.

“Jesucristo siendo rico se hizo pobre para enriquecernos con su pobreza”. Esta frase evangélica quiere impulsarnos a vivir hondamente lo que el Papa Francisco nos ha invitado a vivir: La Jornada Mundial del Pobre. pic.twitter.com/36kcDEEfaj

— Diócesis San Isidro (@DiocesisSI) November 19, 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente francês lança plano anti pobreza

Papa Francisco pede desculpa por utilizar termo ofensivo sobre pessoas LGBT

Papa Francisco condena "ataque terrorista vil" em Moscovo