EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ara San Juan: Macri apela a investigação profunda

Ara San Juan: Macri apela a investigação profunda
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O Presidente da Argentina diz que é importante compreender a origem da explosão no submarino Ara San Juan, desaparecido desde meados de novembro. Familiares dos tripulantes temem que a culpa morra solteira

PUBLICIDADE

Prosseguem as buscas para encontra o submarino Ara San Juan que desapareceu há 11 dias com 44 pessoas a bordo. A Marinha já veio a público garantir que a embarcação não estava a realizar qualquer “missão secreta ou especial” depois de de confirmada uma explosão perto do local onde o submarino comunicou pela última vez.

O Presidente da Argentina pediu, entretanto, a abertura de um inquérito.

“Esta ocorrência requer, claramente, uma investigação séria e profunda que nos traga certezas. Isto significa compreender como é que se registou uma explosão num submarino que tinha sido reparado e que estava em perfeitas condições” refere o Presidente argentino, Mauricio Macri.

Os familiares dos tripulantes acusam os responsáveis pelas buscas de terem escondido informações e terem tardado a reagir, mas acreditam que nem tudo está perdido.

“Espero que possamos encontrar o meu filho e saber o que aconteceu porque se isto ficar por aqui nunca vamos conhecer a verdade. Aqui tal como em muitos outros países, os políticos tomam contam deles mesmos” adianta o pai de um dos desaparecidos.

A explosão registada largo do Golfo de São Jorge, a cerca de 400 quilómetros do ponto mais próximo da costa argentina terá ocorrido pouco depois da última comunicação com o submarino, mas só foi confirmada esta quinta-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O que está por trás da última polémica de Milei com o governo espanhol?

501 caixões e 200 sacos com cadáveres encontrados abandonados na Argentina

As Falklands pertencem ao Reino Unido? Nova sondagem revela que nem toda a gente na Europa está de acordo