Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Theresa May em corrida contra o tempo

Theresa May em corrida contra o tempo
Tamanho do texto Aa Aa

Mariano Rajoy veio trazer palavras de alento a uma Theresa May que viu subitamente bloqueado o processo do Brexit. De visita a Downing Street, o presidente do Governo espanhol declarou estar convencido de que a situação vai acabar por avançar rapidamente para uma segunda fase de negociações.

Mas a verdade é que a primeira-ministra britânica tem de resolver o impasse criado pelo Partido Unionista da Irlanda do Norte, que não aceita as propostas de exceção a nível aduaneiro que representam, consideram, uma divergência em relação a Londres.

Já a oposição trabalhista salienta que as condições têm de ser mais brandas ou o Reino Unido arrisca a implosão.

"A fantasia colidiu com a realidade. O Partido Trabalhista considera que é necessária uma resposta nacional ao Brexit. A questão é: será que a primeira-ministra está disposta a repensar a sua intransigência e refletir noutras opções relativamente à união aduaneira e ao mercado único? Porque senão o preço a pagar será demasiado elevado, isto é, será a rutura da união e a reabertura das antigas divisões na Irlanda do Norte", declarou o deputado Keir Starmer no parlamento.

Segundo Stefan Grobe, correspondente da Euronews em Bruxelas, "no dia que se seguiu ao súbito colapso do acordo do Brexit, o silêncio era ensurdecedor em Bruxelas. Não houve declarações, nem entrevistas dos principais intervenientes. Isto deixa entender que todos os argumentos estão em cima da mesa e que não há muito mais a dizer. Para conseguir avançar, Theresa May necessita de arrumar a casa. Resta saber até que ponto lhe sobram trunfos políticos para jogar".