Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Jerusalém capital de Israel: "Gratidão" para israelitas, "traição" para palestinianos

Jerusalém capital de Israel: "Gratidão" para israelitas, "traição" para palestinianos
Tamanho do texto Aa Aa

Israelitas e palestinianos receberam a decisão de Donald Trump com sentimentos completamente diferentes. Os palestinianos sente-se traídos pelo inquilino da Casa Branca e concluem, com este anúncio, que Washington tomou oficialmente o partido de Israel.

Do lado israelita, o anúncio é considerado um momento histórico:

"Israel apela a todos os países que desejam a paz que se juntem aos Estados Unidos no reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel e que mudem as respetivas embaixadas para aqui. Também quero deixar claro que não haverá qualquer mudança no estatuto dos locais santos. Israel garantirá sempre a liberdade para judeus, cristãos e muçulmanos. Obrigada presidente Trump por esta histórica decisão de reconhecer Jerusalém como capital de Israel", afirmou o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

O presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas não esconde a deceção, após inúmeras tentativas de demover Trump: "Estas medidas deploráveis e inaceitáveis vão minar deliberadamente todos os esforços de paz e proclamar que os Estados Unidos abandonam o papel de obreiros do processo de paz, que tiveram ao longo das últimas décadas".

Na região e em toda a comunidade internacional ressuscitam os temores de uma escalada de violência no Médio Oriente. O Hamas ameaça com uma nova Intifada.