EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Trump nomeia líder da Segurança Nacional e garante muro com o México

Trump nomeia líder da Segurança Nacional e garante muro com o México
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente norte-americano esteve na tomada de posse de Kirstjen Nielsen e reiterou a promessa da construção do muro na fronteira com o México.

PUBLICIDADE

Kirstjen Nielsen é a senhora que se segue no comando da Segurança Nacional dos Estados Unidos. A antiga adjunta de John Kelly - agora chefe de gabinete de Donald Trump - no cargo tem 45 anos e não escondeu sentir uma "grande honra" por ir desempenhar estas funções.

O presidente norte-americano, Donald Trump, compareceu na tomada de posse de uma figura estratégica para a sua política de segurança e as questões foram todas dar ao prometido muro na fronteira com o México. Uma promessa que Trump não conseguiu cumprir no seu primeiro ano de mandato.

"Nós vamos ter o muro. Eu sei que querem o muro e vamos tê-lo. Se não construirmos o muro, então vamos ter muita gente infeliz. A começar por mim. Vamos ter o muro. Precisamos dele por causa do tráfico de droga e da entrada de pessoas . E queremos ter grandes pessoas a vir para o nosso país", disse.

Apesar de ter emitido uma ordem executiva para o lançamento da obra dias depois de chegar à Casa Branca, Trump encontrou no Congresso um muro inesperadamente difícil de ultrapassar. O Congresso continua sem aprovar fundos para a construção e os Democratas prometem bloquear qualquer solução que possa pesar sobre os contribuintes.

Mesmo sem muro à vista, continuam os testes com diferentes protótipos para o muro com o México.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Um grande gesto de um grande presidente". Líderes europeus reagem à desistência de Biden

Comício Republicano: Trump diz que levou "tiro pela democracia" e elogia Putin, Xi e Orbán

Democratas pressionam Joe Biden para reavaliar candidatura às presidenciais