Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Vladimir Putin sem receio da concorrência nas eleições russas

Vladimir Putin sem receio da concorrência nas eleições russas
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, considerou uma "invenção" os alegados contactos entre o seu governo e a candidatura de Donald Trump para uma interferência russa nas últimas eleições norte-americanas.

Na sua sessão anual de perguntas e respostas, esta quinta-feira, em Moscovo, o líder russo culpou a oposição a Trump por toda esta polémica.

"Tudo isto foi criado pelos opositores de Trump para retirarem legitimidade ao seu trabalho. Tenho a certeza de que, finalmente, poderemos normalizar as nossas relações no interesse do povo americano e do povo russo", declarou, perante uma multidão de jornalistas russos e estrangeiros.

Em foco na conferência esteve ainda o escândalo de doping do desporto russo. O processo, que ditou a decisão do Comité Olímpico Internacional (COI) de excluir o país dos próximos Jogos Olímpicos de Inverno, em PyeongChang, na Coreia do Sul, tem, de acordo com Putin, motivações políticas.

 "É claro para nós que o escândalo está a ser alimentado em função do calendário político russo. Como lidamos com a Agência Mundial de Antidopagem e o Comité Olímpico Internacional? Penso que de forma construtiva, espero trabalhar com eles para acabar com os problemas. Mas é claro que iremos defender os interesses dos nossos atletas, inclusive nos tribunais civis", referiu.

A campanha para as eleições de março de 2018 também não foi esquecida. A jornalista e apresentadora Ksenia Sobchak, apontada como hipotética candidata à presidência russa, confrontou Vladimir Putin com os problemas em torno dos diferentes rostos da oposição e quis saber se o governante tinha receio da concorrência.

"Asseguro-lhe que as autoridades não tiveram medo e não vão ter medo. Penso que a esfera política, tal como a esfera económica, deve ser competitiva. Eu queria, quero e vou lutar por um sistema político equilibrado e isso não se concebe sem concorrência no campo político", sentenciou.