Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

NATO recebeu estudo sobre relação entre alterações climáticas e conflitos

NATO recebeu estudo sobre relação entre alterações climáticas e conflitos
Tamanho do texto Aa Aa

É sabido que as alterações climáticas causam destruição ambiental e perda de vidas, mas podem também levar ao agravamento de fatores que estão na base de conflitos, tais como a gestão de recursos naturais escassos e a pressão migratória.

A euronews falou com o vice-almirante norte-americano Lee F. Gunn, perito militar que apresentou, recentemente, um relatório sobre este tema, na NATO.

“Gostaríamos de ajudar os Estados cujo sistema de governação está mais fragilizado, por forma a não se tornarem estados falhados, territórios desgovernados, nos quais podem surgir novas organizações extremistas violentas ou onde as existentes podem conseguir recrutar mais membros”, disse o vice-presidente do Conselho Consultivo Militar da CNA.


A comunidade militar começa a ver as alterações climáticas severas, tais como a subida do nível do mar e secas prolongadas, como um factor “multiplicador” de ameaças.

De acordo com o vice-almirante, a instabilidade causada pelas alterações climáticas poderá a ser aproveitada por organizações terroristas.

“Durante o tempo em que os membros do autodenominado Estado Islâmico controlavam território no Médio Oriente, limitavam a distribuição da água às pessoas e conseguiram coagir muitas delas, mais facilmente, a fazer tudo o que lhes exigiam”, acrescentou.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, tem alertado que a falta de empenho no combate às alterações climáticas pode ter consequências não só socio-económicas mas, também, ao nível da segurança em todo o globo.