Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Madagáscar: a viragem para a era digital

Madagáscar: a viragem para a era digital
Tamanho do texto Aa Aa

Madagáscar… A Grande Ilha está cada vez mais digital.

O novo setor das tecnologias de informação e comunicação está em crescimento, tornando-se numa das alavancas do crescimento económico.

Em relação aos números, as autoridades têm grandes ambições.

“O nosso objetivo é sermos o” Hub “do Oceano Índico pois, em comparação com nossa posição geográfica, estamos bem ancorados entre a Ásia e o continente africano”, afirma o ministro das Telecomunicações e Desenvolvimento Digital, Neypatraiky Rakotomamonjy.

Madagáscar está ligada às ilhas vizinhas e a África por dois cabos submarinos, em breve serão três. A fibra ótica vem complementar as ligações por satélite.
A qualidade técnica de conexão é, assim, o primeiro ativo importante.

O segundo recurso é a população: jovem e cada vez mais ligada à cultura digital.

Números: 20 mil assinantes de internet móvel em 2010, 1,5 milhões hoje.

Os centros de formação estão a multiplicar-se nas grandes cidades.
Apresentam os jovens às profissões digitais, dando-lhes a oportunidade de ansiar por um futuro melhor.

Exemplo disso, Naranja Mamilala sonha em ser engenheiro informático. O objetivo do estudante é “ser um programador no Google ou na Microsoft. “

E se o ‘Vale do Silício’ estivesse nas Terras Altas malgaxes?
É este o desafio das empresas estrangeiras que criam centros de atendimento ou serviços de desenvolvimento digital aqui. É a terceirização.

Madagáscar está a tornar-se num destino cada vez mais popular nesta área. Tem para oferecer mão-de-obra qualificada e barata e, também, “viveiros” de start-ups muito apelativos às grandes empresas.

O presidente executivo da Orange Madagáscar. Michel Degland, conta: “Estamos a trabalhar para construir esses ecossistemas para garantir que esses jovens, essas habilitações, cheguem a estruturas internacionais (por exemplo, os nossos próprios clientes, as nossas próprias necessidades), para que possamos continuar a localizar talentos e, finalmente, para que todos esses jovens e todos esses conhecimentos permaneçam em Madagáscar”.

As autoridades malgaxes têm, também, uma preocupação: democratizar o acesso digital e evitar uma fratura entre a cidade e o campo.

O ministro Neypatraiky Rakotomamonjy informa : “Durante 3 anos, trabalhámos com a Educação Nacional para distribuir tablets, 50 por liceu, com ligação à internet, e trabalhamos com as autarquias para iniciar as pessoas nas ferramentas das Tecnologias da Informação”.

Atualmente, em todo o país, uma em cada duas pessoas tem telemóvel e menos de um em cada 10 tem acesso à internet.
Isso significa que o mercado de telecomunicações e digital tem, ainda, muito por onde crescer.

Outras informações:

TICs: Madagáscar, ilha ligada

Madagáscar: os números da internet

Dados sobre o Setor das Telecomunicações e TIC

Relatório de atividades (2016) do Ministério das Telecomunicações e Desenvolvimento Digital

Artigo do IDE / EDBM

Artigo ddo L’Express Madagascar: ‘‘Madagáscar, um novo centro do Oceano Índico’‘

Artigo do L’Express Madagascar: ‘‘Gigantes dos call centers instalam-se’‘