Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Rajoy rejeita possível investidura à distância de Carles Puigdemont

Rajoy rejeita possível investidura à distância de Carles Puigdemont
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Governo espanhol diz que, se Carles Puigdemont insistir na investidura à distância, a intervenção na Catalunha é para continuar.

Mariano Rajoy apelou ao que definiu como realismo e sentido comum da parte de Puigdemont. Caso tal não aconteça, a aplicação do artigo 155.º da Constituição Espanhola continua em vigor:

"No caso em que haja a intenção de que o senhor Puigdemont esteja presente num debate de investidura em Bruxelas, o Governo levaria imediatamente o caso, totalmente disparatado, aos tribunais" disse Rajoy aos jornalistas.

Os partidos independentistas renovaram a maioria no parlamento regional, nas eleições parlamentares da Catalunha, apesar de o partido mais votado ter sido o Cidadãos (centro-direita liberal), a favor do permanencia da Catalunha autónoma em Espanha.

O país atravessa a época política mais tensa desde a Transição Democrática que pôs fim ao Franquismo.

Puigdemont, o exilado

Carles Puigdemont está refugiado na capital belga desde que o processo que liderou para criar uma República independente da Espanha foi ilegalizado por Madrid, que ativou o artigo 155.º da Constituição espanhola para intervir na Catalunha.

Líder do partido separatista mais votado, Puigdemont quer ser investido como presidente da Generalitat a partir de Bruxelas, mas cada vez há mais dúvidas sobre se isso será possível.

A primeira sessão do novo parlamento catalão terá lugar esta quarta-feira e até ao final de janeiro terá de votar o nome do próximo presidente do Governo regional.

O Governo espanhol já tinha avisado na sexta-feira que iria recorrer “imediatamente” e “sem vacilar” a qualquer tipo de “truque” para investir Carles Puigdemont à distância, sem estar presente, como presidente do executivo catalão.