This content is not available in your region

Diretor executivo da "Human Rights Watch" condena EUA

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
REUTERS
REUTERS

"Donald Trump, de muitas maneiras, tem sido um desastre para os direitos humanos. No plano interno, quebrou todos os tabus em relação ao racismo, à misoginia, à xenofobia."

As palavras são de Kenneth Roth, diretor executivo da "Human Right Watch", organização conhecida por divulgar a violação de direitos humanos. O representante admite que há vários países no mundo que não cumprem estes direitos universais.

Exemplos de Populismo, Crise dos refugiados ou até mesmo casos de manipulação da opinião pública, o diretor executivo da organização acusa os EUA de principal nfluenciador.

"Na política externa, Trump tem uma admiração insaciável por homens fortes e abraça pessoas como Putin, Erdogan Sissi ou Duterte e isso, claro, torna muito mais difícil estigmatizar esses líderes autoritários quando  temos Trump a dizer que esses são grandes homens. Então, o que é realmente necessário é que os outros governos adotem esta condenação." 

Para Kenneth Poth, o Reino Unido, uma das maiores potências mundiais, não está na lista dos países que potenciam o não cumprimento de direitos humanos:

"Os britânicos agora estão mais preocupados com o Brexit e deixaram de ter um papel ativo na promoção dos direitos humanos e é por isso que precisamos de países como a França e a Alemanha para dar o exemplo. E às vezes dão, outras vezes não."

Para a "Human Rights Watch", a prioridade será começar a "condenar" todos aqueles, países ou líderes, que não cumpram os direitos humanos. 

 "É preciso lutar contra esse aumento do Populismo, porque vimos que esse tipo de ligações e resistências pode fazer uma grande diferença e podem salvar os direitos que estão em risco." 

  • *