Última hora

Última hora

Diretor executivo da "Human Rights Watch" condena EUA

Em leitura:

Diretor executivo da "Human Rights Watch" condena EUA

REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

"Donald Trump, de muitas maneiras, tem sido um desastre para os direitos humanos. No plano interno, quebrou todos os tabus em relação ao racismo, à misoginia, à xenofobia."

As palavras são de Kenneth Roth, diretor executivo da "Human Right Watch", organização conhecida por divulgar a violação de direitos humanos. O representante admite que há vários países no mundo que não cumprem estes direitos universais.

Exemplos de Populismo, Crise dos refugiados ou até mesmo casos de manipulação da opinião pública, o diretor executivo da organização acusa os EUA de principal nfluenciador.

"Na política externa, Trump tem uma admiração insaciável por homens fortes e abraça pessoas como Putin, Erdogan Sissi ou Duterte e isso, claro, torna muito mais difícil estigmatizar esses líderes autoritários quando  temos Trump a dizer que esses são grandes homens. Então, o que é realmente necessário é que os outros governos adotem esta condenação." 

Para Kenneth Poth, o Reino Unido, uma das maiores potências mundiais, não está na lista dos países que potenciam o não cumprimento de direitos humanos:

"Os britânicos agora estão mais preocupados com o Brexit e deixaram de ter um papel ativo na promoção dos direitos humanos e é por isso que precisamos de países como a França e a Alemanha para dar o exemplo. E às vezes dão, outras vezes não."

Para a "Human Rights Watch", a prioridade será começar a "condenar" todos aqueles, países ou líderes, que não cumpram os direitos humanos. 

 "É preciso lutar contra esse aumento do Populismo, porque vimos que esse tipo de ligações e resistências pode fazer uma grande diferença e podem salvar os direitos que estão em risco." 

  • *