Oposição síria rejeita conversações na Rússia

Oposição síria rejeita conversações na Rússia
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Opositores não vão comparecer na ronda de negociações em Sochi. Forças sírias apoiadas pelos EUA ameaçam a Turquia caso a ofensiva contra os curdos continue.

PUBLICIDADE

A oposição síria anunciou que não vai marcar presença na conferência de paz que a Rússia vai acolher durante a próxima semana. Após dois dias de conversações em Viena entre o governo sírio e membros da oposição, um porta-voz declarou que o encontro na cidade de Sochi é apenas uma tentativa de contornar o processo de paz encetado pelas Nações Unidas. Segundo o mesmo porta-voz, "foram propostas várias garantias no sentido de um compromisso, mas nenhuma delas era concreta. Tem de haver um empenho sólido".

Ao que tudo indica, António Guterres ainda não decidiu se os representantes da ONU irão efetivamente comparecer em Sochi. Vários países têm criticado a existência de negociações paralelas, denunciando que isso só serve para que Bashar al-Assad, a Rússia e o Irão busquem soluções mais convenientes.

Até à data, a ONU já patrocinou a organização de nove rondas negociais sem que haja um consenso à vista, nem a nível da convocação de eleições, nem da reforma da Constituição, nem tão pouco na luta contra o terrorismo. Aparentemente, por causa da intransigência de Bashar al-Assad.

Entretanto, as Forças Democráticas Sírias, apoiadas pelos Estados Unidos, dizem que a "Turquia pode vir a enfrentar uma resposta à medida" se continuar a intensificar a ofensiva ao longo da fronteira, com o objetivo de vergar as milícias curdas. Mais de 11 milhões de sírios tiveram de abandonar as suas casas por causa dos conflitos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin viola as sanções da ONU ao oferecer uma limusina de luxo a Kim Jong-un

Estados Unidos vetam pela terceira vez cessar-fogo imediato em Gaza

Atividade russa em Adiivka "abrandou drasticamente" desde a tomada da cidade