A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Não vou tolerar que o Holocausto seja negado"

reuters
reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Polónia criou um projeto lei que torna ilegal acusar cidadãos polacos de "cumplicidade" com o Holocausto.

Quem não aceita esta medida é Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro do Israel.

O líder diz que o Holocausto não pode ser negado.

"Este é o momento para mostrarmos que não toleramos distorcer a verdade, reescrever a história ou negar o Holocausto. Ontem expressei a minha justa oposição, que tenho certeza que é partilhada por todos, com a lei aprovada pelo parlamento da polónia na sexta-feira sobre o que aconteceu com o nosso povo naquele país." , admite Benjamin Netanyahu.

Para o governo de Israel, o projeto lei tem de ser suprimido, para que "nunca se esqueça" o que realmente aconteceu.

A polónia foi ocupada por nazis na Segunda Guerra Mundial, regime alemão que é responsável pela morte de milhares de judeus.