Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Rebeldes sírios ligados à Al-Qaeda reivindicam ataque a avião russo

Rebeldes sírios ligados à Al-Qaeda reivindicam ataque a avião russo
Tamanho do texto Aa Aa

Morreu o piloto russo capturado por rebeldes sírios na província de Idlib, depois de o avião Su-25 em que seguia ter sido abatido. A informação foi já confirmada pelo Ministério da Defesa da Rússia e pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que revelaram que o ataque foi concretizado com um sistema de mísseis antiaéreos portátil.

O diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, disse que o piloto, que tinha conseguido saltar de paraquedas, recorreu à sua arma quando estava a ser capturado e foi abatido.

Segundo o Ministério da Defesa russo, citado por agências noticiosas russas, o piloto de “um avião Su-25” que caiu durante o voo na zona de Idlib “teve tempo de anunciar que se tinha ejetado na zona, sob controlo dos combatentes da Frente al-Nosra” e “foi morto em combates contra os terroristas”.

O grupo jihadista Hayat Tahrir Al-Sham, considerado o braço sírio da Al-Qaeda, já reivindicou a responsabilidade pelo ataque e avisou os russos para as consequências do apoio ao presidente da Síria, Bashar Al-Assad. A província no noroeste do país tem sido alvo de diversos ataques aéreos desde dezembro, com a tensão a agravar-se nos últimos dias.

Entretanto, a Rússia já reagiu em força. O ministério da defesa russo revelou à agência de notícias TASS que executou com sucesso um ataque que matou mais de 30 elementos das milícias locais.

A guerra civil na Síria está agora a entrar no seu oitavo ano e já fez centenas de milhares de vítimas, provocando ainda a fuga de mais de 11 milhões de pessoas.